Investigação

Início / Investigação / Apresentações / Alimentos Funcionais - Um mercado em expansão?

Alimentos Funcionais - Um mercado em expansão?

Ano
2008
Documento
Resumo

Podem ser considerados como alimentos funcionais todos os alimentos que, além das suas propriedades nutritivas, providenciem efeitos benéficos para a saúde de quem os consome. O interesse por este tipo de alimentos começou a emergir no Japão por volta dos anos 80, constituindo-se actualmente como um mercado em grande expansão. Embora seja um conceito bastante antigo nos países asiáticos, onde muitos alimentos foram associados a benefícios terapêuticos, só no início do século vinte é que se começou a dar importância a estes assuntos no mundo ocidental. Durante a segunda metade do século vinte apareceram novas perspectivas terapêuticas dos alimentos, consubstanciadas em evidências científicas. Actualmente, produtos como a soja e seus derivados, os iogurtes com os seus lactobacilos ou o chá com os seus antioxidantes constituem exemplos bem sucedidos da indústria agro-alimentar neste domínio dos alimentos funcionais. Foi-se desenvolvendo, assim, um mercado global de alimentos funcionais que tem crescido, nos últimos anos, a uma taxa de cerca de 10% face à taxa de 2% verificada para os restantes alimentos e bebidas. Devido a esta nova perspectiva de valorização dos alimentos, países como os Estados Unidos, Japão e Austrália ou regiões como a Comunidade Europeia começaram a promover o lançamento de novas linhas de investigação com o objectivo de identificar os componentes bioactivos dos seus alimentos e assim reclamar as mais-valias dos seus produtos. Outros países, como a África do Sul, foram estudar os seus produtos tradicionais e criaram indústrias como a relativa ao “rooibos tea”, também conhecido por chá vermelho. Por outro lado, a identificação dos compostos bioactivos responsáveis pelos efeitos fisiológicos está a atrair a indústria farmacêutica, criando-se sinergias potencialmente interessantes entre aquelas duas vertentes da indústria. Portugal também possui alimentos que apresentam um elevado potencial para serem explorados nesta óptica, devendo a sua investigação ser incentivada. A importância económica desta valorização é de tal modo relevante que a comercialização destes produtos como alimentos funcionais está actualmente regulada por normas como as aplicadas nos Estados Unidos pela FDA ou na Comunidade Europeia (Regulation (EC) nº 1924/2006), dada a necessidade de proteger os consumidores e assegurar a segurança dos alimentos.

Abstract

Functional foods are defined as any modified food or food ingredient that may provide a health benefit beyond the traditional nutrients it contains. The interest in this type of food has emerged in Japan in the late 1980s, and it is currently considered a market in great expansion. Although a very old concept in Asian countries, where many foods were associated with health benefits, it was only in the beginning of the twentieth century that Western societies started to give importance to these issues. During the second half of the twentieth century, exciting new nutritional insights emerged that allowed for the development of foods with claimed health benefit, based on scientific evidence. Currently, products such as soybeans and their derivatives, the yogurt with lactobacilli or the tea with its antioxidants are successful examples of food industrial products in this field of functional foods. Thus a global market for functional foods has grown in recent years at a rate of about 10% compared to the rate of 2% occurred for other foods and beverages. Due to this new use of the food, countries like the United States, Japan, Australia and regions like the European Community began to promote the launch of new research lines with the aim of identifying the bioactive components of their food and therefore claim the additional profits of their products. Other countries, like South Africa, have been studying their traditional products and generate industries such as the relative to the “Rooibos” tea, also known as red tea. Furthermore, the identification of bioactive compounds responsible for the physiological effects is attracting the pharmaceutical industry and creating a synergy between these two potentially interesting aspects of the industry. Portugal also has foods that have a high potential to be exploited in this context and the research in these issues should be encouraged.The importance of this economic recovery is so important that the marketing of such products as functional foods is currently governed by rules as those applied in the United States FDA or the European Community (Regulation (EC) No 1924/2006), given the need to protect consumers and ensure food safety.

Palavras Chave

Alimentos funcionais; Compostos bioactivos; Valorização económica; Normas reguladoras

Keywords

Functional foods; Bioactive compounds; Economic value; Regulation

Tipo de Apresentação
Comunicação oral
Tipo de Revisão
Internacional
Âmbito Geográfico
Internacional
Situação
Publicado
Referência

Bento, O (2008). Alimentos Funcionais - Um mercado em expansão? I Encontro Luso-Angolano de Economia, Sociologia e Desenvolvimento Rural. Universidade de Évora. Universidade de Évora. Évora (Portugal): 321-333