Investigação

Início / Investigação / Apresentações / Avaliação do crescimento do porco Alentejano entre os 40 e 80 Kg de peso vivo

Avaliação do crescimento do porco Alentejano entre os 40 e 80 Kg de peso vivo

Ano
2002
Resumo

Com 25 kg de peso vivo, 30 suínos Alentejanos (sexos neutralizados) foram alojados em parques individuais e alimentados com alimento composto comercial (150 g PB e 3107 Kcal ED) fornecido a 85% do Ad Libitum. Aos 40, 70 e 80 kg foram abatidos 4 animais por grupo. As meias carcaças esquerdas foram desmanchadas nas peças de corte e as pernas dissecadas. Obteve-se um ganho médio diário de 409 g/dia e um índice de conversão de 4,62. O aumento do peso de abate traduziu-se no aumento do peso da gordura perirenal, do comprimento, rendimento e peso de carcaça quente. A espessura da gordura subcutânea dorsal aumentou significativamente, passando de 1,60 para 3,22 e para 4,08 cm, respectivamente aos 40,70 e 80 kg. A área do músculo Longissimus Dorsi apenas aumentou significativamente entre os 40 e 70 kg (16,98 vs 20,12 cm2), sendo semelhante aos 80 kg (20,43 cm2). O aumento do peço de abate traduziu-se na ligeira diminuição da percentagem de peças nobres e no aumento das peças gordas. O contributo do músculo no ganho de peso da perna foi de 48,2% e de 11,5%, contra 22,4% e 78,9% do tecido adiposo, respectivamente entre os 40-70 Kg e 70-80 kg

Tipo de Apresentação
Poster
Tipo de Revisão
Nacional
Âmbito Geográfico
Nacional
Situação
Publicado
Referência

Freitas, A.; Neves, J.; Silva, H; Charneca, R.; Nunes, J. (2002). Avaliação do crescimento do porco Alentejano entre os 40 e 80 Kg de peso vivo. XII Congresso de Zootecnia, pp. 400-406. Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Vila Real, Portugal.