Investigação

Início / Investigação / Apresentações / Caracterização molecular e térmica de isolados protéicos de tremoço (Lupinus albus)

Caracterização molecular e térmica de isolados protéicos de tremoço (Lupinus albus)

Ano
2007
Resumo

O tremoço é uma semente de leguminosa que apresenta cerca de 30‑40% de proteína em sua composição. Muito consumido nos países do Mediterrâneo pelo seu alto conteúdo protéico têm sido objeto de estudo em diversos países, inclusive no Brasil. Relatos da literatura indicam forte potencial da proteína como ingrediente, desempenhando funcionalidade em alimentos industrializados, e também com o elemento nutracêutico, devido à composição protéica. Visando explorar a proteínado tremoço na forma de isolados protéicos (IPs) o objetivo do trabalho foi à caracterização molecular e térmica de IPs obtidos em diferentes condições. As sementes foram descortiçadas, trituradas em moinho de martelos (tela 0,4mm), desengorduradas com hexano e tamizadas (0,250mm), obtendo‑se uma farinha com teor protéico de 49,88 ± 0,08%. Suspensão da farinha à temperatura ambiente foi preparada em: 1‑ água; 2‑ NaCl 0,5 mol L‑1; 3‑ NaCl 1 mol L‑1. Curvas de solubilidade das amostras foram obtidas pelo ajuste do pH no intervalo 1 = pH =12,e partir dessas definidos os parâmetros de extração do IP, seguido da precipitação isoelétrica da proteína. Os IPs foram submetidos à SDS‑PAGE revelando a presença de 8 bandas protéicas de mesma mobilidade, tanto para a farinha de tremoço quanto para os IPs, demonstrando que as condições de obtenção desses não alteraram a composição protéica; entretanto, as curvas DSC revelaram maior entalpia para IPs extraídos em pH neutro (335,7 J/g), comparado aqueles em pH alcalino (250,3 J/g), acarretando no deslocamento da temperatura de desnaturação de 69,95°C para 66,57°C, respectivamente, mostrando diferenças na conformação da estrutura protéica. As curvas DSC também demonstraram que a extração realizada na presença do sal acarretou em maior entalpia, caracterizando maior estabilidade nessas condições. A desnaturação é acentuada nos IPs extraídos em pH alcalino sem a presença do sal mostrando que nessa condição de obtenção há maior influencia na sua funcionalidade

Palavras Chave

Isolado proteico; SDS‑PAGE; DSC; Tremoço; Lupinus albus

Keywords

Protein isolate; SDS‑PAGE; DSC; Lupin; Lupinus albus

Tipo de Apresentação
Comunicação oral
Tipo de Revisão
Internacional
Âmbito Geográfico
Internacional
Situação
Publicado
Referência

Fontanari, G; Kobelnik, M; Martins, J; Neves, V; Fertonani, F; Arêas, J; Batistuti, J (2007). Caracterização molecular e térmica de isolados protéicos de tremoço (Lupinus albus). VII Simpósio Latino Americano de Ciência de Alimentos, SCALA ‑ Ligando a Agricultura à Saúde. Unicamp. São Paulo (Brasil). Publicado em CD (sem numeração de páginas)