Investigação

Início / Investigação / Artigos / Efeito do tamanho da ninhada na composição corporal materna durante a lactação em ovinos. II ‑ Reservas energéticas e partição da gordura corporal.

Efeito do tamanho da ninhada na composição corporal materna durante a lactação em ovinos. II ‑ Reservas energéticas e partição da gordura corporal.

Ano
2000
Resumo

Ovelhas cruzadas Border Leicester x Merino foram usadas para estudar os efeitos da lactação na composição corporal materna, em função do tamanho da ninhada (0, 1, 2 e 3 borregos por ninhada), nas primeiras 6 semanas após o parto, depois de terem sido alimentadas a um nível de manutenção nas últimas 10 semanas antes do parto. Verificou‑se um ganho energético significativamente maior no caso das ovelhas secas do que no caso das ovelhas com ninhadas de uma ou três borregos. Apesar de uma tendência para as reservas energéticas maternas diminuirem com o aumento do tamanho da ninhada, a grande variação individual mascarou qualquer eventual efeito do tamanho da ninhada. As necessidades de amnutenção aumentaram com o tamanho da ninhada, mas foram semelhantes para ovelhas com ninhadas de dois ou três borregos. As produções de gordura subcutânea e intermuscular tenderam a aumentar enquanto a de gordura interna tendeu a diminuir, com o aumento do tamanho da ninhada, mantendo‑se contudo estáveis com o tempo.

Tipo de Artigo
Investigação
Tipo de Revisão
Nacional
Âmbito Geográfico
Nacional
Situação
Publicado
Referência

Almeida, J.; Barata, G. (2000). Efeito do tamanho da ninhada na composição corporal materna durante a lactação em ovinos. II ‑ Reservas energéticas e partição da gordura corporal. Revista Portuguesa de Ciências Veterinárias , XCVI: 29‑34.