Investigação

Início / Investigação / Provas e Teses / Estudo dos efeitos da complementação energética e azotada sobre o valor alimentar do feno de aveia - vícia

Estudo dos efeitos da complementação energética e azotada sobre o valor alimentar do feno de aveia - vícia

Ano
1986
Instituição
Universidade de Évora
País
Portugal
Total de páginas
111
Resumo

Neste trabalho foram utilizados 12 carneiros Merino Branco Regional, castrados e divididos em 2 grupos isonuméricos com pesos vivos médios de 28.7 e 45.9 Kgs. Foram realizados 36 ensaios individuais de digestibilidade in vivo, repartidos por 3 períodos e 12 tratamentos experimentais (estes definidos por 12 dietas resultantes da combinação entre 4 níveis de complementação energética e 3 níveis de complementação azotada, sobre uma dieta-basal de feno de aveia x vícia em regime de ad-libitum). As fontes de variação testadas foram (i) o nível de complementação energética, (ii) o nível de complementação azotada, (iii) a interacção entre complementação energética e azotada e (iv) a idade dos animais. Os principais parâmetros estudados foram (i) as digestibilidades aparentes da matéria seca e da matéria orgânica do feno e da dieta e a digestibilidade aparente da fibra insolúvel em detergente ácido e (ii) as ingestões de matéria seca e de matéria orgânica do feno e da dieta, a ingestão de fibra insolúvel em detergente ácido, e as ingestões de matéria orgânica digestível (na matéria seca) e energia metabolizável. Foi possível concluir pela inexistência de qualquer efeito, estatisticamente significativo (p>0.05), dos níveis de complementação sobre as digestibilidades aparentes calculadas da matéria seca e da matéria orgânica do feno. A digestibilidade da matéria seca e da matéria orgânica da dieta aumentou (p<0.01), quer com o incremento nos níveis de complementação energética, quer com o aumento nos níveis de complementação azotada. A depressão observada na digestibilidade da fibra insolúvel em detergente ácido, pelo aumento nos níveis de complementação energética, não foi significativa (p>0.05). Também o efeito benéfico que a complementação azotada exerceu sobre este parâmetro se mostrou insuficiente para determinar significância estatística (p>0.05). A ingestão de matéria seca e de matéria orgânica de feno não foi influenciada (p>0.05) pelos níveis de complementação testados, ainda que se tenha observado uma tendência para depressão quando se praticaram os maiores níveis de complementação. 0 aumento nos níveis de complementação, quer energética, quer azotada, resultou em incrementos (p<0.01) nas ingestões de matéria seca e de matéria orgânica da dieta. A ingestão de fibra insolúvel em detergente ácido não mostrou variação, estatisticamente significativa (p>0.05), que possa ser considerada como consequência de alterações nos níveis de complementação energética. 0 aumento nos níveis de complementação azotada beneficiou (NS, p>0.05) a ingestão de fibra insolúvel em detergente ácido. A ingestão de matéria orgânica digestível e de energia metabolizável aumentou (p<0.01) proporcionalmente, quer com os níveis de complementação energética, quer com os níveis de complementação azotada. 0 efeito da interacção entre complementação energética e azotada mostrou-se estatisticamente não significativo (p>0.05) em qualquer dos parâmetros estudados neste trabalho. A idade dos animais não influenciou (p>0.05) os resultados deste ensaio

Palavras Chave

Alimentação animal; Complementação; Feno; Aveia; Vícia

Tipo de tese
Licenciatura
Situação
Aprovada
Referência

Murilhas, A (1986). Estudo dos efeitos da complementação energética e azotada sobre o valor alimentar do feno de aveia - vícia. Universidade de Évora (Portugal ): 111 pp.